O envelhecimento populacional só tem aumentado nas últimas décadas em decorrência da maior expectativa de vida da população brasileira, mas devemos pensar em envelhecer bem e, para tal, a prevenção e qualidade de vida se fazem muito necessárias, daí a importância da vacinação do idoso como um dos requisitos básicos. A imunização é parte fundamental quando sabemos que os idosos passam por alterações imunológicas ou imunossenescência, o que faz aumentar o risco de infecções potencialmente graves nessa população.

E quais são as principais vacinas?

Vacina Influenza: Está indicada anualmente para o idoso, assim como para as pessoas que convivem com idosos e/ou cuidadores. A influenza ou gripe é uma infecção viral aguda que causa pneumonia e é altamente contagiosa; a transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos. Cerca de 80% a 90% dos óbitos ocorrem em pessoas com mais de 65 anos de idade.

Vacinas Pneumocócicas: Há indicação de duas vacinas, a vacina polissacarídica  23 valente (VPP23) e a vacina pneumocócica conjugada 13 valente (VPC13). As principais doenças causadas pelas bactérias pneumococos são a pneumonia, a bacteremia e a meningite. Doenças que podem ter alta letalidade, principalmente em idosos com doenças crônicas como diabetes, doenças cardíacas e pulmonares.

Vacina do Herpes-Zóster: Para todos os idosos, mesmo aqueles que já apresentaram um quadro de Herpes-Zóster. O Herpes-Zóster, também popularmente conhecido como Cobreiro, trata-se de uma reativação do vírus da Varicela (catapora) no organismo, causando erupções na pele muitos dolorosas.

Vacina da Febre Amarela: Com o recente surgimento de vários casos da febre amarela em algumas regiões do país, há uma preocupação com relação aos idosos e muitas dúvidas surgiram. Trata-se de uma vacina de vírus vivo atenuado, sendo assim, pacientes com mais de 60 anos precisam tomar precauções específicas (devido ao processo de imunossenescência e as comorbidades). Para áreas onde está havendo a circulação do vírus, todos devem ser vacinados. Para aqueles que irão viajar para áreas de risco, deve-se levar em consideração o risco de contrair a doença versus o benefício e risco da imunização.

Vacina do Tétano e Hepatite B, também são de extrema importância.

A imunização não faz parte da rotina dos idosos. O que muitas pessoas pensam é que, tomando todas as vacinas na infância, estão protegidas pelo resto da vida e acabamos de revisar que elas precisam ser repetidas e que são de suma importância na população idosa, evitando, assim, uma série de doenças potencialmente graves e que põem a vida do paciente em risco. Por isto a importância de um acompanhamento médico regular. Bibliografia: http://sbgg.org.br/  www.cdc.gov  Thompson WW, Shay DK, Weintraub E, et al. Mortality associated with influenza and respiratory syncytial virus in the United States, JAMA 2003; 289:179.

Artigos similares

Sem comentários

Deixar uma resposta